Zungueira revoltada agride comandante da Esquadra do Benfica com fogareiro no rosto   - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

URGENTE: Acidente de viação no Patriota envolvendo 4 viaturas mata efectivo da PNA Governador de Luanda faz primeira visita de auscultação Detido cidadão que matou amigo e tentou desfazer-se do corpo queimando-o com plástico Fim de 'Balotelli' - Líder do grupo UTC morto à facada e cortado pénis pelo grupo rival
×

Zungueira revoltada agride comandante da Esquadra do Benfica com fogareiro no rosto  

Zungueira revoltada agride comandante da Esquadra do Benfica com fogareiro no rosto  


O Comandante da Esquadra 52, Vivaldo Cunha, situada no município de Talatona, Distrito Urbano do Benfica, foi agredido com um fogareiro no rosto, quando o mesmo retirava vendedeiras da via pública.

Por: Ngunza Chipenda

O caso teve lugar na tarde De terça-feira, 7 do corrente mês, mas só agora transpira para os órgãos de Comunicação Social.

A população diz não saber se o trabalho de fiscalizar a venda ambulante é dos ficais da Administração local, ou da polícia que, quando quer, chega a bater com porrete nas senhoras e deitar o negócio que é conseguido com "muito sacrifício".

Armanda João, vendedeira ambulante daquela circunscrição, explicou que a forma como os agentes da polícia tratam os comerciantes é humilhante.

“Eles chegam sem maneira, como estão armados, nem pensam que também podem ser filhos ou netos de zungueiras e começam a bater nas pessoas, até senhora de idade são maltratadas por estes jovens que pensam que podem tudo com a farda que usavam”, lamentaram.

Teresa João, diz que todos os dias corre debaixo do sol para conseguir alguma coisa para dar de comer aos filhos. Este corre-corre, argumenta, não é e nunca foi o seu desejo de vida, mas, infelizmente, a realidade actual do país remete a senhora de 42 anos de idade a viver este cenário.

“É doloroso o que estes polícias fazem, correm connosco como se fôssemos animais, há senhoras que já foram atropeladas, e quando eles conseguem nos alcanças pisam o nosso negócio conseguido com sacrifício, isso é revoltante”.   

Na tarde do dia, 7, o Comandante Cunha que está naquela Esquadra há sensivelmente seis meses, liderou uma equipa que ia combater a venda ilegal, no entanto, este terá se insurgido contra uma senhora de aproximadamente 50 anos de idade, que assava bombó num dos passeios da zona.

Ao deitar o negócio, a senhora revoltou-se como o efectivo, e arremessou o fogareiro contra o rosto do comandante, tendo partido os óculos que usava e ferido a parte superior do olho direito.

 Ao colocar-se em fuga, dizem testemunhas, a senhora foi perseguida até um quintal e espancada até fracturar a perna.

Contactado pelo NA MIRA DO CRIME, o porta-voz da Polícia Nacional em Luanda, Superintende Nestor Goubel, explicou que no dia acima referido, os efectivos da Esquadra do Benfica exerciam o seu trabalho de combate a venda desordenada, quando o Comandante terá flagrado a senhora a vender no separador da Estrada nº 100, junto as bombas da Pumangol.

Durante a abordagem, a senhora arremessou o fogareiro contra o rosto do Comandante, partindo os óculos que este usava e feito um corte por cima do rosto direito.

Nestor explicou que depois da agressão, a senhora colocou-se e fuga, e os efectivos foram em busca da mesma, e foi levada até a esquadra.

“Como a senhora estava com a perna maltratada, o comandante havia ordenado que a mesma senhora fosse levada ao hospital”, concluiu.

 

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados