Paciente suturada com tubo de balões de soro no hospital do Cajueiros sofre (agora) em casa - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

URGENTE: Acidente de viação no Patriota envolvendo 4 viaturas mata efectivo da PNA Governador de Luanda faz primeira visita de auscultação Detido cidadão que matou amigo e tentou desfazer-se do corpo queimando-o com plástico Fim de 'Balotelli' - Líder do grupo UTC morto à facada e cortado pénis pelo grupo rival
×

Paciente suturada com tubo de balões de soro no hospital do Cajueiros sofre (agora) em casa

Paciente suturada com tubo de balões de soro no hospital do Cajueiros sofre (agora) em casa


Maria Luísa José, jovem de 28 anos de idade, que teve parto por cesariana no dia 17 de Fevereiro, do ano em curso, no hospital dos Geral dos Cajueiros, onde perdeu o bebé e submetida a três operações-pós-parto, a última das quais no hospital Josina Machel, diz que as dores continuam, depois da alta provisória.

Por: Mário Cunha

Já lá vão cinco meses desde que a Maria deu entrada no Hospital Geral dos Cajueiros. A doente recorda que a primeira operação foi realizada no Hospital dos Cajueiros por uma doutora cubana de nome Nana.

Até aí, estava tudo bem, mas mais tarde, as coisas pioraram ao ponto de ser submetida a mais uma operação no mesmo hospital, desta vez por um médico Nacional de nome Hélder Agostinho.

Foi depois da segunda intervenção cirúrgica que a Maria foi transferida, por meio de uma guia médica para o hospital Américo Boa Vida, conforme fez saber o médico Hélder, numa das nossas visitas ao hospital do Cajueiros.

O médico assegurou que foi depois da segunda cirurgia que passou a registar sangramento no órgão genital, sendo este o motivo da transferência para o hospital Américo Boavida, por falta de um especialista em urologia.

No entanto, a transferência em causa ficou manchada por desentendimentos entre médicos ao ponto de Maria ter sido obrigada a regressar para o hospital dos Cajueiros.

A paciente conta que, depois de alguns dias, o Hospital dos Cajueiros fez a devida transferência para o hospital Maria Pia - Jogina Machel, para melhor tratamento médico, tendo ficado até dia 5 do mês de Julho corrente.

Apesar dessa alta provisória, Maria diz que não tem dormido todas as noites por causa da dor nos órgãos genitais.

"O meu corpo não está bem, porque passo com dores todos os dias; não tenho dormido; da ferida têm saído fezes e um líquido mal-cheiroso", afirmou, apontando o dedo ao doutor Hélder como o causador de tamanho sofrimento.

Maria, mãe 4 filhos, conta também que vivia no bairro Belo Monte, mas por causa dos problemas de saúde, a residência sofreu assaltos e os filhos estão sob tutela de familiares. Ela pede ajuda às autoridades competentes, para que respondem o seu grito de socorro.

Já o irmão da Maria, o George, argumenta que o estado de saúde de Maria obrigou a família a contratar um enfermeiro, para estar a limpar a ferida.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados