Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Cuito: Detido cidadão que matou adolescente e deitou corpo na fossa Gangues tiram o sono aos moradores do Zango III Marginal “abatido” por supostos agentes do SIC na Estalagem Treze pessoas devoradas por Jacarés no Cuando Cubango
×

Mulher do Major Lussaty começa a perder os bens

Mulher do Major Lussaty começa a perder os bens


O Serviço Nacional de Recuperação de Activos (SNRA) da Procuradoria Geral da República (PGR), anunciou esta sexta-feira, 28, a apreensão de um SPA, construído com fundos públicos, e que era detido pela esposa do Major Lussaty. 

De acordo com o comunicado, a apreensão, enquadra-se no âmbito do processo de Investigação Patrimonial 15/2021.
Este é o segundo golpe que a família Lussaty recebe, depois de, na última semana, O chefe das Finanças da banda musical da Presidência da República, major Pedro Lussaty, ser detido quando transportava duas malas carregadas com 10 milhões de dólares e 4 milhões de euros para os quais não justificou a posse e, alegadamente, procurava retirar do País.

Na sequência investigativa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) tornou público um processo crime "em que estão envolvidos oficiais das Forças Armadas Angolanas afetos à Casa de Segurança do Presidente da República, por suspeita de cometimento dos crimes de peculato, retenção de moeda, associação criminosa e outros".

Na segunda-feira, 24, foram exonerados seis oficiais generais da Presidência, entre os quais está o "tenente-general Ernesto Guerra Pires, do cargo de consultor do ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, e o tenente-general Angelino Domingos Vieira, do cargo de secretário para o Pessoal e Quadros da Casa de Segurança do Presidente da República".

Além destes dois, também o tenente-general José Manuel Felipe Fernandes, secretário-geral da Casa de Segurança do Presidente da República, e o tenente-general CFrancisco Cristóvão, diretor de gabinete do ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, foram afastados dos cargos, de acordo com uma nota.

O tenente-general Paulo Maria Bravo da Costa, que era secretário para Logística e Infraestruturas da Casa de Segurança do Presidente da República, e o brigadeiro José Barroso Nicolau, antigo assistente principal da Secretaria para os Assuntos dos Órgãos de Inteligência e Segurança de Estado da Casa de Segurança do Presidente da República, foram também exonerados.

Na última semana, João Lourenço, exonerou Daniel Mingas Casimiro do cargo de diretor do Gabinete de Estudos Estratégicos da sua Casa de Segurança, o sétimo elemento deste órgão a ser exonerado.
 

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados