Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Adalberto Costa Júnior eleito presidente da UNITA com mais de 96% dos votos expressos Promotores de prostituição de adolescentes detidos em Luanda Desmantelada rede de tráfico de marfim no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro Detidos efectivos das Forças Especiais que comercializam munições de AKM
×

Uma criança é violada a cada seis horas em Moçambique

Uma criança é violada a cada seis horas em Moçambique


Uma criança foi vítima de violação sexual a cada seis horas em Moçambique entre janeiro e setembro deste ano, afirma a organização não-governamental (ONG) World Vision, citando dados do Comando Geral da Polícia da República de Moçambique

"Essas informações são reveladoras de quão sinuoso é o caminho que o país ainda tem pela frente, numa altura em que acaba de ser assinalado o 31.º aniversário da Convenção dos Direitos da Criança", refere a organização, numa nota de imprensa enviada hoje à comunicação social.

Segundo o documento, 99% das crianças vítimas de violação sexual são raparigas e o maior número de casos foi registado nas províncias de Maputo e Gaza, no sul, e Nampula, no norte do país.

A ONG apela ao país para que encontre estratégias para descobrir as "causas primárias da violência contra a criança", referindo que isso passa pela consolidação e implementação "sem contemplações" da legislação para a sua proteção, além da sensibilização e educação contínuas da sociedade.

"É indispensável que neste processo a participação e a voz da criança não sejam um dado adquirido, mas constituam um objetivo concreto a ser obrigatoriamente alcançado", acrescenta a nota.

A World Vision Moçambique apontou ainda que os níveis de violência contra a criança, com destaque para violação sexual, aumentaram com a pandemia de covid-19, em Gaza, Zambézia, Tete e Nampula, segundo resultados de um inquérito realizado naquelas províncias.

"Mais do que nunca, este é o momento em que devemos colocar a proteção dos direitos da criança no centro do roteiro político global para uma melhor reconstrução", conclui.

C/NM

 

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados