Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Promotores de prostituição de adolescentes detidos em Luanda Desmantelada rede de tráfico de marfim no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro Detidos efectivos das Forças Especiais que comercializam munições de AKM Polícia começou a "desarmar" empresas de segurança
×

Falta de oxigénio: Indiana tenta salvar a mãe da Covid-19 fazendo respiração boca a boca

Falta de oxigénio: Indiana tenta salvar a mãe da Covid-19 fazendo respiração boca a boca


É mais uma história que ilustra a violência da doença, e como destrói famílias em curto espaço de tempo.

Na índia, em Bahraich, uma mulher foi vista em desespero a tentar salvar a mãe, que estava numa maca num corredor de hospital a fazer respiração boca a boca e arriscando a sua própria vida.

De acordo com o site "India.com", a medida extrema foi tomada já que não havia suprimento de oxigénio disponível para a paciente com Covid-19 que por morrer.

O vídeo posto a circular nas redes sociais, ilustra a tentativa da jovem ressuscitar a mãe, ilustrando o desamparo de vítimas e familiares de pacientes infectados pelo coronavírus na segunda nação mais populosa do mundo.

Segunda vaga é mais letal

Num outro caso semelhante de Covid-19 em Agra (Índia), uma mulher identificada como Renu Singhal, vendo o seu marido sem conseguir respirar, tentou ressuscitá-lo, realizando respiração boca a boca, mas não conseguiu, o marido, Ravi Singhal morreu no colo da esposa dentro de um carro do lado de fora do hospital da cidade, à espera de um lugar.

Índia bate recorde de mortes diárias por Covid-19

3.689 mortes foram registradas nas últimas 24h na índia, e o país enfrenta problemas como falta de camas e de oxigénio em hospitais.

A Índia é o segundo país mais afectado no mundo pela pandemia, com mais de 19,5 milhões de pessoas infectadas. Até o momento, cerca de 215 mil pessoas já morreram por causa da Covid-19. No sábado, 1, foram registados 401.993 novos casos. 

Angola: Mais de 3 mil casos positivos registados só em Abril

As autoridades sanitárias de Angola anunciaram, neste domingo,02, o registo de 178 novos casos e dois óbitos, nas últimas 24 horas.

Conforme o boletim clínico diário, 173 foram diagnosticados em Luanda, 3 na Huíla e 2 no Bengo.

Entre os novos pacientes, cujas idades variam dos 9 meses aos 84 nos, estão 95 do sexo masculino e 83 do sexo feminino.

Os óbitos, envolvendo cidadãos angolanos, foram registados na província de Luanda.

O quadro geral apresenta 26.993 casos positivos, com 602 óbitos, 23.913 recuperados e 2.3478 activos.

Dos activos, 9 são críticos, 18 graves, 99 moderados, 82 leves e 2.270 assintomáticos.

Os laboratórios processaram 1.236 amostras, nas últimas 24 horas.

Em quarentena institucional estão 125 cidadãos, enquanto 1.524 estão sob vigilância epidemiológica e 208 encontram-se internados nos centros de tratamento a nível do país.

Abril somou um total de três mil e 942 novos casos de Covid-19 em todo o país 

As autoridades angolanas registaram, no período de 1 a 30 de Abril último, um total de três mil e 942 novos casos de Covid-19, em todo o país. 

Os dados oficiais apontam para o aumento de dois mil e 439 casos em relação ao mês de Março, sendo que o dia 29 de Abril foi o mais crítico, com 263 registos. 

Em termos de recuperações, o quadro indica que houve, neste período, três mil e 339, mais duas mil e 207 em relação ao mês de Março, período em que se registou a recuperação de mil e 132 pacientes.

Neste quesito, os dados indicam que o dia 5 de Abril, com um total de 573 pacientes recuperados, foi o mais satisfatório.

Em termos comparativos, o dia 4 de Abril foi o mais calmo do mês, com o registo de apenas 52 novos casos de Covid-19. 

Para além do aumento de casos, o mês de Abril registou, igualmente, um acréscimo de óbitos, com 58 ocorrências, mais 29 em comparação com o mês precedente.

Os dados do mês de Março referem que houve mil e 503 novos casos, mil e 132 recuperados e 29 óbitos.

O quadro geral apresenta do país aponta para 26 mil 815 casos positivos, com 600 óbitos, 23 mil e 913 recuperados e dois mil e 302 pacientes activos.

C/Na Mira do Crime/ Angop/ Extra

 

 

 

 

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados