Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Cuito: Detido cidadão que matou adolescente e deitou corpo na fossa Gangues tiram o sono aos moradores do Zango III Marginal “abatido” por supostos agentes do SIC na Estalagem Treze pessoas devoradas por Jacarés no Cuando Cubango
×

Talibãs entraram em Cabul: Presidente afegão já deixou o país e EUA evacuaram a embaixada

Talibãs entraram em Cabul: Presidente afegão já deixou o país e EUA evacuaram a embaixada


Combatentes terão ordens para ficar às portas da capital e está a ser negociada a transferência do poder "nos próximos dias". EUA aceleram a retirada do pessoal diplomático, mas Rússia diz não ter planos para sair. Talibãs controlam base aérea e prisão de Bagram.

Os talibãs já estão nos arredores de Cabul e em negociações para preparar a transferência pacífica do poder para um "governo de transição" que deverá acontecer "nos próximos dias". O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, já deixou o país, segundo informação de um canal afegão (TOLO News) já confirmada pela Al-Jazeera. Estará no Tajiquistão.

À porta de Cabul, os combatentes talibãs receberam ordens, segundo a agência Reuters, para não usar a violência na capital afegã e permitir a saída daqueles que desejem partir.

O ministro do Interior afegão, Abdul Sattar Mirzakwal, disse que a transição vai decorrer de forma pacífica com as forças de segurança a continuar no terreno para "garantir a segurança de Cabul". A CNN relata que a nova administração irá "provavelmente" contar com oficiais talibãs junto com elementos do atual governo de Ghani.

Um dos nomes que se fala para liderar o "governo de transição" é o do ex-ministro do Interior (2003-2005), antigo embaixador na Alemanha e professor universitário na Universidade de Washington Ali Ahmad Jalali. O antigo coronel tem 81 anos.

À Al-Jazeera, o porta-voz dos talibãs Suhail Shaheen disse que os insurgentes aguardam "uma transição pacífica" do poder em Cabul. À BBC acrescentou depois que essa "transferência pacífica" do poder deverá acontecer "nos próximos dias". Suhail Shaheen está no Qatar como parte da equipe de negociação dos talibãs.

Quando começaram a surgir as notícias da entrada dos talibãs em Cabul, um porta-voz indicou que os combatentes tinham ordens para ficar às portas de Cabul e não entrar na cidade. Fontes indicaram à AP que os talibãs estão nos distritos de Kalakan, Qarabagh e Paghman.

De acordo com um comunicado dos talibãs, citado pela Al Jazeera, "negociações estão a decorrer para garantir que o processo de transição fica concluído em segurança, sem comprometer as vidas, as propriedades e a honra de ninguém, sem comprometer as vidas dos habitantes de Cabul".

Uma mensagem no Twitter do gabinete da presidência procura garantir aos cidadãos de Cabul que a situação está controlada, apesar de os talibãs estarem a entrar na cidade. "Houve tiroteios esporádicos em Cabul, Cabul não foi atacada, as forças de segurança e defesa do país estão a trabalhar em conjunto com parceiros internacionais para garantir a segurança da cidade, a situação está sob controlo", segundo a mensagem, citada pela BBC.

O presidente afegão emitiu, no sábado, uma mensagem vídeo pré-gravada a dizer que não deixaria que houvesse um banho de sangue. E, segundo a Reuters, estaria em negociações com o representante especial dos EUA para a reconciliação afegã, Zalmay Khalizad, e outros oficiais da NATO, tendo inicialmente dito que o presidente estaria em diálogo com os talibãs para uma "rendição pacífica" de Cabul. Mais tarde veio a informação que já terá deixado o país.

EUA aceleram retirada

Os norte-americanos estão a acelerar a retirada do pessoal diplomático do país. Segundo a CNN, o objetivo é retirar todos nas próximas 72 horas. Helicópteros Boeing CH-47 Chinook começaram a operar junto à embaixada pouco tempo depois de os talibãs capturarem a cidade de Jalalabad, com veículos diplomáticos a deixar também o local.

A imagem de helicópteros a retirar pessoas do telhado da embaixada era uma que o presidente dos EUA, Joe Biden, queria evitar, por causa dos paralelismos com a queda de Saigão e a derrota no final da guerra do Vietname, em 1975.

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, rejeita comparações com Saigão. "Isto não é Saigão", disse, garantindo que os EUA "tiveram sucesso" na sua missão de "travar os ataques aos EUA". Contudo, agora, "não está simplesmente no nosso interesse continuar no Afeganistão". Blinken diz que "as tropas afegãs foram incapazes de defender o país".

Helicópteros Sikorsky UH-60 Black Hawk, que normalmente transportam militares, aterraram pouco depois na embaixada, segundo a AP, que relata fumo do edifício -- diplomatas receberam ordens para queimar documentos confidenciais antes de partir. Há cerca de cinco mil militares norte-americanos a ajudar à retirada.

Já a Rússia indicou que não planeia evacuar a sua embaixada. Um responsável do Ministério dos Assuntos Externos, Zamir Kabulov, disse à agência de notícias Interfax que está "em contacto direto" com o embaixador em Cabul e que os funcionários da embaixada continuam a trabalhar "calmamente" e que "nenhuma evacuação está planeada".

Kabulov indicou entretanto que a Rússia está a trabalhar com outros países para que haja uma reunião de emergência no Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a situação no Afeganistão. "Estamos a trabalhar nisto", afirmou, acrescentando que a reunião irá acontecer.

Jalalabad caiu sem oposição

Durante a noite, os talibãs capturaram Jalalabad sem oposição. "Acordámos esta manhã com as bandeiras brancas dos talibãs por toda a cidade. Eles estão na cidade. Eles entraram sem lutar", disse Ahmad Wali, residente em Jalalabad, à agência de notícias AFP.

O movimento extremista islâmico também reivindicou a conquista da cidade. "Há momentos, os mujahidines entraram em Jalalabad, a capital da província de Nangarhar. Todas as áreas estão agora sob o seu controlo", disse Zabihullah Mujahid, um dos seus porta-vozes.

Já durante este domingo, conquistaram mais quatro províncias, incluindo Daykundi e Bamiyan (onde há cerca de 20 anos destruíram com explosivos dois famosos budas).

Os talibãs já controlam 30 das 34 províncias, assim como as respetivas capitais, segundo o balanço do The Long War Journal, da Fundação para a Defesa das Democracias. A ofensiva começou ainda em maio, mas a primeira capital provincial foi conquistada há apenas nove dias.

Também há indicações que os talibãs controlam a base aérea e prisão de Bagram, nos arredores de Cabul, onde ainda estão cerca de cinco mil prisioneiros (incluindo insurgentes talibãs e membros do Estado Islâmico). O complexo serviu de epicentro da guerra contra os talibãs e a Al-Qaeda durante quase duas décadas. No mês passado, os militares norte-americanos deixaram o local durante a noite, sem sequer avisar as autoridades afegãs.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados