Familiares do agente da polícia morto por meliantes no Sequele clamam por justiça - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Novo aeroporto tem capacidade para movimentar 15 milhões de passageiros por ano LIMA realiza segunda reunião ordinária com olhos postos no empoderamento da mulher NOTA NEGATIVA: Péssimo trabalho do GCI-MININT condiciona trabalho da Imprensa Cidadão nigeriano detido pelas forças policiais de Belas com mais de cem placas electrónicas furtadas  
×

Familiares do agente da polícia morto por meliantes no Sequele clamam por justiça

Familiares do agente da polícia morto por meliantes no Sequele clamam por justiça


Ao darem conta da presença da Polícia no local, os meliantes começaram logo a disparar e atingiramo agente em causa. A família pede que se faça justiça e apela para que os causadores paguem pelos danos

Por: Cambundo Caholua

Os familiares de Jercy Caquinda Rodrigo, 28 anos de idade, agente de terceira classe da Polícia Nacional (PN), destacado no município de Cacuaco, que foi morto na madrugada de sábado (24), por volta das 3 horas, por três marginais, no Sequele, quando a patrulha de que fazia parte tentou evitar o assalto a uma viatura, clamam por justiça.

 O NA MIRA DO CRIME ouviu a esposa do malogrado e alguns membros da família, que disseram à nossa reportagem que a PN tem de fazer tudo para honrar o nome de Jercy, que em vida deu muito de si em prol da pátria, protegendo os cidadãos.

Já a mulher informou que horas antes do marido morrer ainda ligou para ela. Admirada, questiona-se como é possível que horas depois perdeu a vida. “(...) Meu marido me ligou a uma hora da manhã, ontem, antes de morrer, me ligou, ainda estava bem, como é que meu marido foi morrer agora?”, questionou-se.

 Continuando disse: “isso não é justo, mataram o meu marido quero justiça”.

 Enquanto que Maria André, irmã de Jercyano, como era também carinhosamente chamado, contou que o seu irmão estava de casamento marcado para este ano. “(...)Tinha mulher e pretendia casar-se este ano, estava a trabalhar arduamente para conseguir realizar os seus sonhos, mas infelizmente na madrugada de ontem, tomamos conhecimento que houve um confronto entre a polícia e marginais, ele acabou sendo atingido e perdeu a vida no local. Estamos a espera que se faça um funeral condigno, tendo em conta que ele morreu em defesa da pátria e que a pátria, Angola, não desampare a família do Jercyano”, apelou.

A mãe de Jercy, consternada com o momento que vive pela perda do filho, em poucas palavras disse:  “Vieram me buscar de manhã para irmos à unidade, afinal de contas o meu filho morreu”, lamentou.

De acordo com o porta-voz do Comando Provincial da Polícia Nacional em Luanda, Nestor Goubel, diligências estão a ser feitas para se encontrar os presumíveis autores do crime e posteriormente serem encaminhados ao Ministério Público (MP).

“Claro que a justiça será feita; nesta altura as diligências estão a ser feitas no sentido de se localizar os presumíveis autores, proceder-se as declarações e encaminhá-los ao Ministério Público para que se faça justiça”.

Importa referir que Jercy Caquinda Rodrigo deixou viúva e uma filha de 6 anos.

A PN está a acompanhar todos os passos e promete que vai dar toda atenção à família para que o seu efectivo seja enterrado com dignidade, honra e se fazer cumprir a justiça.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados