Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Capturado mentor do assalto ao camião de trigo na Via Expressa Dirigentes da UNITA temem concorrer com ACJ para não serem rotulados como traidores Exclusivo: Sakala e Katchiungo ‘escondem’ a sete chaves cartada final para o Congresso da UNITA Cazenga: Jovem encontrado morto com os dedos cortados e um rasgão com a letra M nas costas
×

Huíla: Detida ex-administradora de Chicomba por desvio de mais de 600 milhões de Kwanzas

Huíla: Detida ex-administradora de Chicomba por desvio de mais de 600 milhões de Kwanzas


A antiga administradora do município de Chicomba, Lúcia Francisca, foi detida ontem, quinta-feira, 16, pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), na Huíla, sob suspeita de peculato, associação criminosa e tráfico de influência.

A acusada, de 66 anos de idade, foi administradora do município de Chicomba durante oito anos (2010- 2018), tendo saído por reforma.

No processo-crime número 3809/2018, confirmado pelo SIC/Huíla à ANGOP, está igualmente arrolado um funcionário da supracitada administração e sócio da firma Luvprest, João Vaz Monteiro e o ex-director municipal da Educação, António Domingos Damião.

Sobre os suspeitos pesa o alegado desvio de mais de 600 milhões de Kwanzas durante a gestão de Lúcia.

Após a detenção que ocorreu por volta das 11h00, a antiga administradora deu entrada nas celas do SIC (Edifício B) minutos depois e foi interrogada por um procurador durante três horas.

Após o interrogatório, o seu advogado, José Carmona, disse que aguardam pela definição da medida de coação pessoal.

Contactado pela ANGOP, o jurista Emil Calei, sublinhou que no crime de peculato existem três molduras penais, dependendo da quantia subtraída, mas tratando-se de um valor elevado, a pena é de cinco a 14 anos de prisão.

Acrescentou que às referidas molduras são ainda acrescidas um terço, se o funcionário público for titular de cargo público.

Já para o tráfico de influência, informou que a condenação varia de um a cinco anos, ao passo que para a associação criminosa, se for provado, é de um a oito anos, se chefiar o grupo é de dois a 10 anos.  

A PGR na Huíla está a investigar actualmente 197 gestores públicos com processos relacionados a crimes financeiros. O município de Chicomba dista a 220 quilómetros a Norte do Lubango e tem uma população estimada em 163 mil e 086 habitantes. 

C/Angop

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados