Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Efectivo dos Serviços Prisionais mata a tiro jovem de 19 anos de idade Não há qualquer processo aberto contra Adalberto Costa Júnior - Garante PGR Turquia anuncia crédito de 500 milhões de dólares para Angola SIC faz limpeza no Zaire: Altamente perigosos colocados fora de circulação
×

Reabilitação dos edifícios recuperados das mãos de Kopelipa e Dino vão custar 23, 8 biliões de kwanzas aos cofres do Estado

Reabilitação dos edifícios recuperados das mãos de Kopelipa e Dino vão custar 23, 8 biliões de kwanzas aos cofres do Estado


O Fundo de Fomento Habitacional (FFH) abriu um concurso público para reabilitação de 21 edifícios situados na Centralidade Vida Pacífica, situados no Zango 0,  no valor de 23, 8 biliões de kwanzas.

Por: Osvaldo de Nascimento

Os edifícios já estavam concluídos e por não estarem habitados, foram ao longo dos anos vandalizados e exigem agora obras profundas  das infraestruturas internas e externas, para se tornarem habitáveis.

De acordo com fonte do Fundo Habitacional, foi feito um levantamento técnico para aferir  a conservação e as redes técnicas básicas dos prédios.

Lembra-se que os 21 edifícios foram recuperados pela Procuradoria Geral da República (PGR), no quadro do processo de combate a corrupção e recuperação de activos do Estado.

A Procuradoria-Geral da República  de Angola anunciou em Outubro de 2020 a entrega de vários bens ao Serviço Nacional de Recuperação de Ativos, incluindo empresas e edifícios, pelos generais Hélder Vieira Dias "Kopelipa" e Leopoldino Fragoso do Nascimento "Dino".

Entre os bens entregues pelos generais, representantes das empresas China International Fund Angola -- CIF e Cochan, S.A., constam fábricas de cerveja e cimento, uma rede de supermercados e edifícios de habitação que "passam a integrar, de forma definitiva, a esfera patrimonial do Estado".

Os dois generais, homens fortes do regime do anterior Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, foram constituídos arguidos no âmbito de um processo relacionado com contratos entre o Estado e a empresa China International Found (CIF), no âmbito do extinto Gabinete de Reconstrução Nacional e começaram a ser ouvidos na PGR na terça-feira.

Segundo o comunicado da PGR angolana, relativo à entrega dos bens "constituídos com fundos públicos", foram devolvidas ao Estado as fábricas de cerveja (CIF Lowenda Cervejas), de logística (CIF Logística), de cimento (CIF Cement) e de montagem de automóveis (CIF SGS Automóveis). 

Foram também entregues a totalidade das ações que detinham na empresa BIOCOM -- Companhia de Bioergia de Angola (que tem participações da Sionangol e Odebrecht), através da Cochan, a rede de supermercados Quero, através da cedência de 90% das participações sociais do grupo Zahara Comércio, S.A. e a empresa Damer Gráficas -- Sociedade Industrial de Artes Gráficas. 

Os representantes da empresa CIF fizeram também a transferência de titularidade para a esfera patrimonial dos bens que já tinham sido apreendidos nos dias 11 e 17 de fevereiro, designadamente 24 edifícios de habitação e outros equipamentos da centralidade do Zango 0 denominada "Vida Pacífica", a centralidade do Kilamba KK5800, com 271 edifícios e 837 vivendas em diferentes níveis de construção e os edifícios Cif Luanda One e Cif Luanda Two.

C/DW

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados