Cidadão acusado de abusar sexualmente a cunhada de 10 anos de idade solto mediante ‘acordo’ na - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Mototaxistas tentam invadir Comando Municipal de Viana Sexo e bebedeiras no posto de Polícia: Agente da polícia espanca namorada no interior da esquadra Sobrinho que matou o tio por causa de 2 milhões de kwanzas condenado a 20 anos de cadeia Oito meses de Cadeia: Tribunal do Dande condena grupos de bandidos envolvidos em rixas
×

Cidadão acusado de abusar sexualmente a cunhada de 10 anos de idade solto mediante ‘acordo’ na Esquadra 14

Cidadão acusado de abusar sexualmente a cunhada de 10 anos de idade solto mediante ‘acordo’ na Esquadra 14


Um jovem identificado apenas por Mingo, de 27 anos de idade, está a ser acusado de abusar sexualmente a sua cunhada de apenas 10 anos de idade, no município de Viana.

Por: Matias Miguel

Helena Luzia, de 45 anos de idade, recorreu ao NA MIRA DO CRIME para denunciar o referido cidadão, explicando que, na quarta-feira, 16, do mês em curso, a  sua filha caçula, de 10 anos, manifestou interesse de visitar a irmão que vive com o marido na Zona Verde, município de Viana.

“Entendi fazer a vontade dela, passados sete dias, a miúda regressou, mas notei que o ânimo não era o mesmo em relação a outros dias que ela vinha da casa da irmã”, disse.

Na sexta-feira, 25, depois de alguma conversa com o pai, a menina disse que o “Ti Mingo” abusou dela, introduzindo os dedos dele na vagina da pequena por duas vezes, por isso não queria voltar para casa da irmã.

“Quando lhe investigamos bem, confessou que foi ameaçada de morte por parte do cunhado, caso contasse o que aconteceu”. No sábado, 26, os tios da menina foram até a casa do acusado, e levaram-no até a Esquadra do km 12, conhecida como Esquadra 14”, contou.

De seguida, conta a nossa entrevistada, os polícias em serviço mandaram fazer um teste numa clínica para dirimir a dúvida, porque o acusado recusava. No entanto, os resultados apontam que a miúda foi abusada.

“Prenderam o senhor, abriu-se o processo e convidaram-nos a fazer um teste no laboratório de criminalística, no bairro Popular, afecto ao SIC”, lembrou.

“Entretanto, no domingo, 27, ligaram-me da Esquadra a pedir a minha presença, para meu espanto, um polícia disse que o detido alega que a sua cantina havia sido assaltada na noite de sábado para domingo, e que presumiam que os assaltantes eram os meus filhos”, contou, acrescentando que, seguida os agentes começaram a lhe ameaçar com a prisão dos seus filhos.

“Para que isso não acontecesse, eles disseram que eu tinha que retirar a queixa, sem opção, retirei e minutos depois soltaram o meu genro”, lamentou.

Em conversa mantida com a menina, a mesma disse ao NA MIRA DO CRIME  que o Ti” Mingo” introduziu os dedos dele nos órgãos genitais dela,  por duas vezes, e ameaçou de morte caso contasse, “disse que ia matar também a minha irmã, eu não falei na mana porque ele podia bater a mana, mais falei no papá”, descobriu.

DIIP ignora PGR e faz acordo entre as partes

Contacto por este jornal, o Comandante da Esquadra 14 disse apenas que a actuação foi dos efectivos do DIIP.

O NA MIRA contactou o porta-voz da Direção de Investigação e Ilícitos Penais (DIIP), da Polícia Nacional, inspector-chefe Quintino Ferreira, e prometeu pronunciar-se nas próximas horas.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados