IGAE-Sumbe ‘entrega’ ao SIC funcionários da saúde que cobravam 'indevidamente' cartões de vac - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

URGENTE: Acidente de viação no Patriota envolvendo 4 viaturas mata efectivo da PNA Governador de Luanda faz primeira visita de auscultação Detido cidadão que matou amigo e tentou desfazer-se do corpo queimando-o com plástico Fim de 'Balotelli' - Líder do grupo UTC morto à facada e cortado pénis pelo grupo rival
×

IGAE-Sumbe ‘entrega’ ao SIC funcionários da saúde que cobravam 'indevidamente' cartões de vacina e atestados médicos

IGAE-Sumbe ‘entrega’ ao SIC funcionários da saúde que cobravam 'indevidamente' cartões de vacina e atestados médicos


Funcionários da Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE), estacionados na cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul, flagraram, na quarta-feira, 10, trabalhadores do Centro Médico do Chingo a cobrar indevidamente valores para aquisição de Cartões de Vacina e Atestados Médicos para efeitos escolar.

Por: Belchior Resende

De acordo com dados em posse do NA MIRA DO CRIME, a equipa da IGAE, tão logo foi accionada,  em companhia de agentes do SIC, fizeram-se ao local, e em flagrante delito, encontraram o funcionário público Domingos Mateus, de 54 anos de idade, Supervisor Logístico Municipal do PAV, bem como Morais Miquinho Tomé, de 35 anos de idade, Segurança do Centro e Januário Horácio João Afonso, de 27 anos de idade, Agente Comunitário de Saúde, a extorquirem os cidadãos.

Da conversa mantida com os ora implicados, alegaram que os valores cobrados aos munícipes não são depositados na CUT, sob orientações do funcionário  Domingos Mateus, com quem dão destino para benefício próprio desde o dia 3 do corrente mês.

Os mesmos foram flagrados com a quantia de AKZ 86 mil e 300,  e declararam que haviam entregue ao mandante, no dia anterior, o valor de 30 mil kwanzas, com os respectivos atestados e cartões de Vacina todos eles assinados.

Importa ressaltar que, os implicados serão também indiciados pela prática de falsificação de assinatura do Médico em serviço, uso indevido do carimbo do Centro ao cuidado da Administração Municipal e especulação de preços.

A conduta dos detidos consubstancia-se num acto de Improbidade Pública previsto na Lei 3/10 de 29 de Março combinado com o artigo 4° do Decreto n.33/91 de 26 de Julho.

No local, e em função da competência material, os funcionários foram entregues aos agentes do SIC que os encaminharam ao Piquete dos Serviços de Investigação Criminal do Sumbe, a fim de serem presentes ao Ministério Público para legalização da  detenção.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados