Predador sexual abusa sobrinha de 8 anos no Talatona - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Novo aeroporto tem capacidade para movimentar 15 milhões de passageiros por ano LIMA realiza segunda reunião ordinária com olhos postos no empoderamento da mulher NOTA NEGATIVA: Péssimo trabalho do GCI-MININT condiciona trabalho da Imprensa Cidadão nigeriano detido pelas forças policiais de Belas com mais de cem placas electrónicas furtadas  
×

Predador sexual abusa sobrinha de 8 anos no Talatona

Predador sexual abusa sobrinha de 8 anos no Talatona


Um jovem de nome Joaquim da Fonseca, de 23 anos de idade, morador do bairro Rei Mandume, distrito urbano Campo Universitário, no município de Talatona, em Luanda, é acusado de abusar sexualmente uma menor de 8 anos de idade, filha de seu irmão.

Por: Kihunga Bessa

Segundo Zito Zua, irmão da mãe da vítima que falou em exclusivo ao NA MIRA DO CRIME, o acto aconteceu no pretérito dia 13 de Novembro, por volta das 22 horas, quando o violador aproveitando—se da ausência da mãe que estava na rua a vender, entrou na casa do irmão com truques de ver televisão, onde encontrou as sobrinhas já a dormir na sala.

Já dentro, procurou mecanismos para aldrabar um dos primos que também se encontrava no interior da residência, alegando que a namorada estava a espera—lo na rua.

Acrescentou que tão logo o primo saiu de casa, ele fechou a porta e começou primeiramente a despir a irmã de 11 anos, mas ouviu passos no quintal que eram, afinal, do primo que tinha voltado da rua sem conseguir ver a alegada namorada.

Nem mesmo os passos o fizeram parar. Pelo contrário, desistiu da menor de 11 anos e partiu para a de 08.

O primo visivelmente enfurecido com a falsa informação de que a sua namorada estava na rua, entrou em casa, abrindo porta devagar e flagrou o mentiroso por cima da menor.

Ao se aperceber da presença de seu primo, implorou para que este nada dissesse à família, mas isso não foi possível porque este teve mesmo de chamar o senhor Zito que, revoltado com a situação, partiu para agressão tendo posteriormente sido levando para uma esquadra mais próxima do bairro.

Zito e a irmã clamam por justiça.

"Nós sabemos mesmo que é família, mas pedimos às autoridades no sentido de fazerem justiça", apelaram.

Informaram que após o acto, no dia seguinte, a menina foi levada a um laboratório de criminalística, mas não foi atendida, tendo ficado a promessa das autoridades acompanharem o processo.

Importa referir que toda esta situação ocorreu na ausência do pai que se encontrava numa das províncias onde trabalha.

O NA MIRA DO CRIME sabe também que o presumível autor é irmão do pai da menor, e já foi encaminhado para o comando municipal de Talatona onde foi presente ao ministério público para a responsabilização criminal.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados