Grupo de marginais “Craveras” e “Os Tribunais” controlam parte do Zango 4 - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

URGENTE: Acidente de viação no Patriota envolvendo 4 viaturas mata efectivo da PNA Governador de Luanda faz primeira visita de auscultação Detido cidadão que matou amigo e tentou desfazer-se do corpo queimando-o com plástico Fim de 'Balotelli' - Líder do grupo UTC morto à facada e cortado pénis pelo grupo rival
×

Grupo de marginais “Craveras” e “Os Tribunais” controlam parte do Zango 4

Grupo de marginais “Craveras” e “Os Tribunais” controlam parte do Zango 4


Dois grupos de marginais, nomeadamente “Os Craveras” e “Os Tribunais”, têm tirado o sossego aos moradores dos bairros Venceremos, Tia Bolinha e Bairro das Chapas, situados no Município de Viana, Distrito Urbano do Zango, propriamente no Zango 4.

Por: Matias Miguel

Os bairros fazem fronteira entre si, o que tem facilitado a actividade criminosa, uma vez que a esquadra da Polícia aí existente, dista a aproximadamente 1 quilómetro.

De acordo os moradores que falaram ao NA MIRA DO CRIME, os grupos estão devidamente identificados, sendo que os “Craveras” até são veteranos nesta prática.

“Estes patrulham os bairros da Tia Bolinha, Venceremos, nas Chapas e ao longo da vala a céu aberto”, descobriram, acrescentando que, os marginais, são filhos do bairro e estão com idades entre 14 e 23 anos de idade.

“Os pais destes jovens perderam o controlo sobre os filhos, uma vez que eles (bandidos) têm sempre dinheiro dos roubos e assaltos, tornando-se assim independentes”, explicaram. 

Segundo moradores, ‘tramancar’ nas zonas acimas descritas é praticamente o prato do dia.

“Eles violam as moças, assaltam cantinas dos estrangeiros… e não assaltam só com facas, aqui os barulhos de tiros tornaram-se normal, temos que nos recolher às 18horas, coitadas das mamãs que vendem no mercado do Ngangula, estas são obrigadas a entrar em casa antes das 17horas”, denunciaram.

Para os que saem muito cedo para trabalhar, contam os nossos entrevistados, têm duas opções: Ou sair me grupo, ou depois das 6horas.    “Eles são tão atrevidos que montam postos avançados, munidos com arma de fogo do tipo pistola, armas brancas (catanas, facas e cacos de garrafas) recebem os bens das pessoas à força”, lamentaram.

Pontos de concentração

Moradores explicaram que os pontos onde os marginais concentram para prática de assaltos são, “Corredor da vala”, onde tem um primeiro andar inacabado e um espaço baldio. Na zona de travessia para o bairro das Chapas.

A fronteira entre a Tia Bolinha e outros bairros, é, também, local muito perigoso.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados