Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Participação do PR na 76ª sessão das Nações Unidas custa 2 biliões e 500 milhões de kwanza aos cofres do Estado Detidos marginais que simulavam serviço de táxi e roubavam telemóveis aos passageiros Assaltos à mão armada: Motoqueiros armados com AKM tiram o sono as Forças de Defesa Segurança Huíla: Detidos cidadãos com mais de 2 milhões de dólares falsos
×

Cartada do PR adia manifestação da oposição

Cartada do PR adia manifestação da oposição


Os partidos na oposição, com a UNITA à testa, pretendiam realizar uma manifestação, este sábado, como forma de pressionar o Chefe de Estado a não promulgar A Lei que altera a Lei Orgânica sobre as Eleições Gerais, aprovada apenas pelo MPLA.

Por: Lito Dias

A resposta não tardou e João Lourenço devolveu a referida lei à Assembleia Nacional para ser reapreciada.

Tratou-se, na verdade, de uma estratégia do Presidente da República que visa, sobretudo, acabar com o "barulho" da oposição que alegava imprecisões que podiam macular o processo eleitoral.

O NA MIRA DO CRIME sabe que depois da publicação da nota do PR que dá a conhecer a promulgação da Lei do Registo Eleitoral Oficioso e a devolução da Lei Orgânica sobre as Eleições Gerais ao Parlamento, as forças políticas da oposição desmontaram todo esquema da manifestação deste sábado.

"Praticamente, com a medida tomada, o Presidente da República surpreendeu a oposição e deitou por terra todos argumentos para a aludida manifestação", assegurou a nossa fonte que diz tratar-se de uma "cartada de mestre".

A devolução da Lei ao Parlamento pelos motivos que João Lourenço evoca é um gesto que surpreendeu a oposição que tem a oportunidade de, junto com o MPLA, expurgarem todas as imprecisões, de forma consensual.

Com este gesto, João Lourenço fez renascer a esperança da UNITA, CASA-CE e PRS que, desesperadamente, exigiam que 'em nome da paz, da estabilidade política, da verdadeira democracia e da credibilidade de Angola ao nível do mundo, o Titular do Poder Executivo não devia promulgar esta lei e que a faça voltar ao Parlamento, tal como fez com o código penal.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados