Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Capturado mentor do assalto ao camião de trigo na Via Expressa Dirigentes da UNITA temem concorrer com ACJ para não serem rotulados como traidores Exclusivo: Sakala e Katchiungo ‘escondem’ a sete chaves cartada final para o Congresso da UNITA Cazenga: Jovem encontrado morto com os dedos cortados e um rasgão com a letra M nas costas
×

Roberto de Almeida ‘levou’ Agostinho Neto ao Serviço de Investigação Criminal

Roberto de Almeida ‘levou’ Agostinho Neto ao Serviço de Investigação Criminal


O Serviço de Investigação Criminal (SIC), acolheu, ontem, terça-feira, 14, no Anfiteatro da sua sede, em Cacuaco, a palestra subordinada ao tema "VIDA E OBRA DO DR ANTÓNIO AGOSTINHO NETO”.

O acto foi presidido pelo Comissário-Chefe Arnaldo Manuel Carlos, que na sua mensagem de boas vindas agradeceu a presença de Roberto de Almeida, deputado da bancada parlamentar do MPLA, e prelector da atividade, “pela sua trajectória invejável, e por ter dispensado os seus afazeres para brindar o SIC com os seus ensinamentos e conhecimentos únicos em volta da figura de Neto”.

Arnaldo Carlos ao elevar o sentido e o espírito patriótico do efectivo ressaltou que "uma nação que não valoriza os seus líderes, que não valoriza o exemplo dos seus líderes, dos seus heróis, está condenada a não ter futuro”, e os jovens, sublinhou, devem respeitar os valores essenciais que fundamentam a existência de uma nação, respeitando os mais velhos, respeitando os valores mais nobres de uma Nação.

Por sua vez, o deputado Roberto de Almeida enfatizou as grandes qualidade de Neto que, ainda em tenra idade já ajudava o seu pai a ministrar aulas com a sabedoria que lhe era peculiar.

“Demonstrou qualidades únicas do Humanista que sofreu várias cadeias porque acreditava no sonho de uma Angola Independente”.

De acordo com o prelector, Neto, enquanto Primeiro Presidente de Angola, esteve sempre como um africanista pois tinha como um dos seus principais objectivos ajudar os Países africanos que viviam sob o jugo colonial.

“Neto era um homem íntegro e bastante humanista, amante da cultura e dos desportos, médico de profissão, escritor emprestado à política”, ressalvou.

 As poucas mais de duas horas foram insuficientes para ouvir tão cativante prelecção, que fixou olhares atentos dos efectivos do SIC presentes na sala, e que queriam esgotar a última gota da sabedoria Neto, narrada por um nacionalista avisado e um poeta de Pseudónimo literário "Jofre Rocha”.

 Na ocasião, os efectivos empolgados, partilharam a sua satisfação com elogios e agradecimentos.

 Roberto de Almeida enalteceu o esforço do SIC no combate à criminalidade, e encorajou os homens e mulheres deste serviço a prosseguirem nesta luta, pois, disse, “não são poucas vezes que até os vossos nomes são denegridos por incompreensões".

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados