Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Militares do Burkina Faso confirmam tomada de poder e dissolução de Governo e parlamento Huíla: Secretário da UNITA acusado de burla afastado do partido Luanda comemora hoje o 446º aniversário Detido director-adjunto da escola “Povo em Luta” por engravidar e provocar aborto de uma aluna de 14 anos de idade
×

Luanda pode ganhar usina de transformação de resíduos plásticos em energia

Luanda pode ganhar usina de transformação de resíduos plásticos em energia


O Ministério da Cultura Turismo e Ambiente, apresentou nesta quarta-feira, 12, ao Governo da Província de Luanda, uma proposta que visa a construção de uma Usina de separação e processamento de resíduos sólidos em combustível líquido e gasoso.

Por: Carla Nayara

A apresentação do projecto decorreu no Salão Nobre do GPL, e contou com a presença do Ministro Filipe Zau e a Governadora de Luanda, Ana Paula de Carvalho, de quem a comitiva ministerial recebeu boa nota, reiterando uma cooperação salutar entre as duas instituições.

Para António André Chivanda Barros, consultor do ministro para o Ambiente, a proposta visa numa primeira fase atacar o sector dos plásticos. Segundo ele, está matéria-prima a ser transformado em combustível líquido e gasoso, vai produzir Energia através do sistema automotivo.

O técnico entende que a implementação deste projecto, pode também servir de alternativa na redução dos resíduos, sobretudo plásticos, na cidade Capital.

Chivanda Barros apesar de não precisar um horizonte, avançou apenas que, caso haja disponibilidade financeira, o projecto pode ser executado dentro de 10 meses.

No entanto, assegurou que por enquanto, vai se fazer alguns ajustes e anexar o respectivo orçamento, sublinhando que numa primeira fase, tratando-se de um projecto piloto, a perspectiva é começar com uma unidade, com uma capacidade de processar cerca de 200 quilogramas por hora, perfazendo um total de 4000 toneladas dia.

O também professor universitário, referiu ainda que a ideia é lançar um projecto consistente e, justifica que na medida que o projecto for se consolidando, vai se aumentar a capacidade, reconhecendo que Luanda produz mais resíduos do que a capacidade que se prevê instalar.

Por seu turno, o chefe do departamento de Gestão de Resíduos sólidos e Serviços Comunitário, Stelvio Agostinho, fez saber que a proposta surge em boa hora, na medida em que o GPL está a trabalhar na redefinição das políticas de gestão e tratamento dos resíduos sólidos da província, que actualmente conta com uma produção de lixo na ordem dos 6.5 toneladas por dia.

Por isso, comunga com a ideia de se adequarem as políticas de gestão de resíduos na estratégia mundial, sublinhando que, durante o encontro, foram igualmente abordada a questão da potencialização dos cuidados a ter com o Parque da Quissama.

“É destes tipo de projectos que as operadoras devem apresentar como solução ao lixo e fonte de rendimento, vendendo a energia e outros meios que advierem dos resíduos”, observou.

O lixo orgânico serve para produção de adubos de que o país precisa e tem gasto elevadas somas na importação.

O papel, serve para produção de sacos para compras e embalagens, evitando assim o uso do plástico que é prejudicial ao Ambiente.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados