Angola contribui com 10 milhões de dólares para assistência humanitária em África - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Capturados marginais que violaram professora de 54 anos de idade, vítima foi golpeada com martelos na cabeça TALATONA: Marginais vestidos com coletes do SIC sequestram irmãs e pedem resgate de 2 milhões de Kwanzas DIIP-Zango detém marginal altamente perigoso de nome “Boutique” Grupo de marginais “Craveras” e “Os Tribunais” controlam parte do Zango 4
×

Angola contribui com 10 milhões de dólares para assistência humanitária em África

Angola contribui com 10 milhões de dólares para assistência humanitária em África


Angola anunciou, nesta sexta-feira, que vai contribuir com 10 milhões de dólares para a ajuda na resolução de necessidades humanitárias em África.

O anúncio foi feito pelo Presidente da República, João Lourenço, na Conferência da União Africana (UA) sobre Questões Humanitárias e Doações, que decorreu hoje, em Malabo, Guiné Equatorial.

No encontro foram anunciadas doações voluntárias por parte de diferentes governos de África, países europeus, organismos internacionais e agências multilaterais.


As ajudas publicamente declaradas por vários Chefes de Estado e de Governo, ou outros representantes presentes na cimeira, variaram até  100 mil dólares.

Dos doadores africanos, Angola e a África do Sul contribuíram com o montante mais elevado, 10 milhões de dólares cada um.

Dentre os doadores europeus, destaque para a Dinamarca, que doou 19 milhões de euros.

Cimeira angaria mais de 60 milhões de dólares

Sessenta e seis (66) milhões de dólares é o total do valor angariado hoje, sexta-feira, em Malabo, Guiné Equatorial, para ajudas humanitárias às populações do continente, vítimas de calamidades naturais e conflitos armados.

O montante estará sob gestão da Agência Humanitária Africana, instituição cujos escritórios funcionam na sede da União Africana, em Adis Ababa, na Etiópia.

Dados da UA indicam que as necessidades humanitárias em África estão a aumentar, fundamentalmente, por causa de conflitos e choques climáticos.

A previsão é que mais de 30 milhões de pessoas estejam deslocadas internamente, em consequência de conflitos intercomunitários e da insegurança alimentar.

João Lourenço conduz sessões de trabalho

O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, conduziu as sessões de trabalho da Cimeira da União Africana sobre Questões Humanitárias e Doadores, por impossibilidade do Presidente em exercício da UA, Macky Sall.

O Presidente senegalês, Macky Sall, teve de regressar ao seu país, devido a uma tragédia que ocorreu numa maternidade da capital, Dakar, onde um incêndio resultou na morte de vários recém-nascidos.

Angola ocupa uma das vice-presidências da Mesa da Assembleia de Chefes de Estado e de Governo da União Africana.

Cimeira sobre Terrorismo e as Mudanças Inconstitucionais

Além da Cimeira sobre as Crises Humanitárias, a capital da Guiné Equatorial acolhe, sábado, outra sobre Terrorismo e as Mudanças Inconstitucionais de Governos em África.

A referida Cimeira foi proposta pelo Presidente João Lourenço, aquando de uma reunião ordinária dos líderes do continente, realizada em Adis Abeba, Etiópia.

O encontro vai analisar, entre outras acções, o impacto deste "flagelo" no continente, de modo a identificarem-se estratégias conducentes a um plano de abrangente.

C/Angop

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados