Tribunal Constitucional extingue P.NJANGO, APN prepara-se para o adeus - Na Mira do Crime
Sábado, 21 de Nov 2020 24ºC Luanda, Angola

Recentes

Novo aeroporto tem capacidade para movimentar 15 milhões de passageiros por ano LIMA realiza segunda reunião ordinária com olhos postos no empoderamento da mulher NOTA NEGATIVA: Péssimo trabalho do GCI-MININT condiciona trabalho da Imprensa Cidadão nigeriano detido pelas forças policiais de Belas com mais de cem placas electrónicas furtadas  
×

Tribunal Constitucional extingue P.NJANGO, APN prepara-se para o adeus

Tribunal Constitucional extingue P.NJANGO, APN prepara-se para o adeus


Contas mal feitas e estratégias mal montadas levaram os partidos P.NJANGO (de Dinho Chingunji) e APN (de Quintino Moreira) a não conseguirem obter 0,5 por cento dos votos nas eleições de 24 de Agosto, cifra suficiente para sobreviver da extinção.

Por: Lito Dias

Acontece que pouco mais de dois meses depois das eleições, o Tribunal Constitucional (TC) vai decretando o desaparecimento dessas forças políticas.

Nesta quarta-feira, o TC decretou a extinção do Partido de Eduardo Dinho Chingunji, fundado na véspera das eleições. O P.NJANGO, para além de não eleger sequer um deputado, não conseguiu o número desejado de votos para se manter vivo.

Apesar de ter ainda 10 dias para contestar a extinção Dinho Chingunji tem poucas hipóteses de manter a chama viva de um possível reaparecimento no próximo pleito.  Os 0,42 por cento obtidos a 24 de Agosto não permitem a sua manutenção na vida política.

A APN, partido liderado por Quintino Moreira, é o próximo a ser oficialmente extinto, pelas mesmas razões.

Em 2017, não atingiu o número suficiente de votos para conseguir assento parlamentar, mas em 2022, para além de não conseguir quebrar a ausência de 10 anos fora da assembleia, conduziu o seu partido ao desaparecimento, à semelhança de 2012.

Você pode partilhar este post!




Artigos Relacionados